Os Waiwai estão distribuídos entre os estados do Amazonas, Pará e Roraima, entre três terras indígenas. Em 2009, um levantamento do Zea contabilizou 2.914 indivíduos desta etnia. O primeiro registro oficial dos Waiwai foi no século XIX, pelo geógrafo Robert Hermann Schomburgk, em decorrência do contato que ele teve com outros indígenas da região; ainda não havia proximidade com os Waiwai. Mesmo assim, devido ao intenso sistema de troca com outros povos os Waiwai tiveram acesso a objetos da cultura brasileira. Apenas em 1884, o geógrafo francês Henri Coudreau, conseguiu um melhor contato com esta etnia. Em 1950, as missões cristãs chegaram na região e interviram fortemente no modo de vida e na tradição deles. Falam a língua Waiwai, da família Karíb. O nome Waiwai é usado para identificar o grupo como um todo, mas dentro dele existem as subdivisões Karapawyana, Katuenayana e Xerewyana. Antes da chegada dos missionários, tinham duas grandes festividades coletivas, a Shodewika, quando uma aldeia visita a outra, e os rituais Yamo, quando espíritos da fertilidade, invocados por dançarinos com máscaras permanecem na aldeia por vários meses. Nas comemorações sempre havia fartura de bebidas fermentadas, danças e brincadeiras. Os indígenas acabaram adicionando duas grandes festas cristãs tradicionais ao seu calendário, a Páscoa e o Natal. Se adornam com cocares feitos com pena de arara azul, saiotes e pulseiras de sementes. A pintura corporal é feita com jenipapo e algodão. O urucum é usado apenas no rosto. Já participaram de oito edições dos jogos indígenas e a principal modalidade é o arco e flecha.

POVOS

MODALIDADES INSCRITAS